101-carros-que-menos-desvalorizam

Conheça os usados que menos desvalorizam no Brasil hoje

Quando se trata de trocar automóveis ou comprar um novo, ter tato para saber sobre a desvalorização é fundamental para quem não deseja perder dinheiro no investimento. Sendo assim, saber quais são os usados que menos desvalorizam é importante para garantir que você faça um bom negócio e não acabe trocando gato por lebre.

No momento da venda, utilizar a tabela Fipe como parâmetro é a melhor opção, já que os preços são válidos para o país inteiro, levando em consideração levantamento de dados apurados em 24 estados, descarte dos valores mais discrepantes e o cálculo final, que representa a média obtida.

O que influencia a desvalorização?

O fato é que todos os carros são desvalorizados com o passar do tempo, uma vez que são bens de consumos passivos e que demandam gastos como manutenção, combustível e impostos. No entanto, o percentual de quanto você irá perder em uma venda deste automóvel oscila de acordo com cada modelo. 

Muitos fatores são responsáveis por determinar o percentual de desvalorização de um automóvel usado. No entanto, a demanda e oferta continuam sendo os principais fatores a definir o valor do seu usado. 

De maneira geral, quanto mais um automóvel é procurado nas concessionárias, seja novo ou usado, menor tende a ser a desvalorização em relação a modelos da mesma categoria, com preço semelhante.

O histórico e a credibilidade da marca também influenciam na depreciação dos seus veículos. 

10 automóveis que menos desvalorizam

A agência AutoInforme divulgou, recentemente, uma lista com as 10 melhores opções de veículos quando o assunto é desvalorização. Estes modelos podem ser boas opções para o seu bolso. Confira!

honda-hrv-carros-que-menos-desvalorizam-101-veículos

Honda HR-V

Com percentual de desvalorização de apenas 8,8% ao ano, este foi o automóvel identificado com o menor índice de depreciação. Além disso, o HR-V é um dos modelos que encabeçam a lista de mais vendidos no país entre o segmento utilitário.

O preço tabelado da versão EXL com motor 1.8 flex e câmbio CVT, 0 km, custa, atualmente, R$103,9 mil reais. 

Ao ser vendido, daqui um ano, o preço médio dele será em torno de R$95 mil.

Jeep Compass

Este é outro crossover que vem ganhando espaço nas ruas brasileiras. O modelo é identificado como o mais vendido da categoria e tem como depreciação o percentual de apenas 9,1%.

A versão mais básica Sport 2.0 Flex AT 4×2 custa, atualmente, R$109.990. Após um ano de uso, seu valor de venda não deverá ser inferior do que R$99 mil.

Chevrolet Onix

O modelo Onix, da norte-americana Chevrolet é o carro mais vendido atualmente. Ele ocupa a terceira posição no ranking dos carros menos depreciados, com percentual de 9,2%.

Dentre a linha Onix, a versão que mais vende é o Joy 1.0, sendo também a versão mais simples. Enquanto o valor atual de um carro novo é afixado em R$43.290, daqui um ano o valor médio de venda será de R$39 mil.

Fiat Toro – Toyota Corolla – Volkswagen Up

Os três modelos apresentaram, de acordo com a pesquisa, o percentual de 9,3% de desvalorização. 

Enquanto o Up! Tem sua versão mais simples 1.0 MPI custeada em R$ 38.740, poderia ser revendida daqui um ano por cerca de R$ 35,1 mil, o Fiat Toro Endurance 1.8 AT parte do valor de R$90.990 e, daqui um ano, poderia ser vendido a R$82,5 mil reais.

Já o Toyota Corolla GLi Upper 1.8 CVT custa, atualmente, R$89.990 e daqui um ano poderá ser vendido por R$ 81,6 mil.

Honda Fit

O bom pós-venda da marca é algo que atrai clientes e a posição e credibilidade da marca faz com que seus carros costumem ter uma boa performance no que diz respeito à depreciação.

No ranking levantado, o Honda Fit oferece o percentual de 9,7% de desvalorização. Dessa forma, o valor pago ao modelo de entrada, R$ 59,3 mil, torna-se R$53,5 mil ao ser vendido daqui um ano.

Hyundai HB20S 

Com desvalorização de 10,2%, o sedã mais vendido da Hyundai ocupa a sexta posição no ranking. Atualmente é possível adquirir o veículo, em sua versão mais básica, por R$51.590.

Após um ano de uso, a estimativa para o valor de venda é de R$46 mil.

Honda City

Considerado a versão sedã do Fit, o Honda City tem percentual de depreciação de 10,3%. O modelo de entrada 0 km pode ser adquirido por R$60.900, enquanto o valor de venda, no ano posterior, seria de R$54,6.

Renault Duster Oroch

O modelo Duster Oroch da Renault compete com o Fiat Toro. Esta versão, no entanto, não é campeã de vendas, mas apresenta um bom percentual de desvalorização. 

Com 10,4% de depreciação, a versão mais básica do Oroch pode ser comprada por R$73.780. Após um ano de uso, a mesma versão poderá ser encontrada entre os seminovos por R$66,1 mil.

Honda Civic – Toyota Etios hatch

A princípio, os dois carros não têm muita coisa em comum pois não são modelos que competem entre si. No entanto, ambas as versões são produtos japoneses que partilham do índice de 10,5% de desvalorização.

A versão de entrada do Civic Sport 2.0 manual está tabelada, atualmente, em R$89,4 mil, podendo ser revendida por R$80 mil daqui a um ano.

Já o Etios, modelo hatch, tem como valor do modelo de entrada R$47.270. Após um ano o valor cairia para R$42,3 mil.

Toyota Etios Sedã

Logo atrás da versão hatch, está o Etios sedã ocupando a décima posição no ranking dos menos desvalorizados.

Com percentual de 10,6% de desvalorização, o valor da versão mais básica é definido em R$52.110. Após um ano de uso, o mesmo modelo poderá ser vendido por cerca de R$46,5 mil.